Início Notícias A pecuária além da mesa
A pecuária além da mesa PDF Imprimir E-mail
Escrito por Administrador   
Seg, 08 de Janeiro de 2018 07:42

Desde muito tempo os bovinos vêm sendo utilizados como fonte de produtos para melhorar a qualidade de vida de nós humanos. Os bovinos considerados domésticos (Bos primigenius f. Taurus resp. Bos taurus L.) foram identificados como tais, pela primeira vez, nos assentamentos neolíticos (aproximadamente 6.000 AC).

 

Mas o bovino representa muito mais que o fornecimento de carne e leite. Vejamos alguns exemplos. Há diferentes medicamentos que são oriundos de órgãos animais. Das glândulas adrenais obtêm-se a epinefrina (adrenalina). Este é o hormônio, que em situação fisiológica, no momento de estresse, é secretado para garantir a reação do organismo aos esforços físicos. Ele estimula o coração, causa vasoconstrição periférica e vasodilatação muscular, fazendo assim com que os músculos recebam mais oxigênio e tenha uma resposta mais rápida à situação a qual lhe causou o estresse. A substância exógena ao nosso organismo, ou seja, que é obtida de glândula animal e para depois ser injetada em humanos, é utilizada para estimular o coração e para o tratamento de bronquite asmática.

Fernanda

 

De outro órgão, o pâncreas, são extraídas enzimas como a pancreatina, a lipase, a quimotripsina, desoxirribonuclease e tripsina. E, também, os hormônios insulina e glucagon, utilizados no tratamento de diabetes. Usa-se, também o pâncreas, na forma crua, para tratamento em animais de companhia com insuficiência pancreática exócrina.

Há alguns medicamentos que nem médicos nem técnicos do setor sabem a real origem. Utilizado como anticoagulante, para cirurgias ou pacientes com risco de AVC (acidente vascular cerebral) e também em tratamentos estéticos para combater a gordura localizada, a Hialuronidase (HYALOZIMA® - BULA) tem o uso muito difundido. Milhares de frascos, contendo a enzima, são utilizados diariamente em todas as partes do planeta. Ela é extraída a partir de testículos bovinos, este, um corte pouco utilizado na culinária convencional. Esta enzima, a Hialuronidase, na forma endógena tem uma função específica na reprodução, pois é uma das responsáveis por facilitar a fertilização do óvulo pelo gameta masculino. Fora do organismo do animal foram também identificadas outras funções para esta molécula. Ela colabora com a manutenção da vida de diversos pacientes e ajuda a esculpir os lindos corpos que desfilam em diversos locais do planeta, quando é injetada com o objetivo de dissolver gordura localizada (HYALOZIMA® - BULA).

 

Do fígado, pulmões e intestino é a extraída a heparina, que é utilizado aplica para a fluidificação do sangue (reduzir a viscosidade), retardar a coagulação (inibe a conversão da pró-trombina em trombina), utilizada em exames de sangue, em procedimentos cirúrgicos e em transplante de órgãos.

 

As gorduras, grandes vilãs da modernidade, ou sebo como é mais conhecido no setor, também tem seu uso em diversas atividades. Muitas delas diárias na vida da população das cidades. O principal mercado para o sebo industrial e as farinhas produzidas a partir de restos de tecidos bovinos que o ser humano não quer consumir, são as rações animais, principalmente para aves, peixes, cães e gatos. Estes animais recebem diariamente na sua alimentação farinhas de carne, de ossos e de sangue e sebo.

 

Também do sebo se sintetizam vários ácidos, aplicáveis em distintos ramos industriais. O ácido esteárico é combinação sinérgica de ácidos graxos refinados, empregados em cosméticos, cremes, sabonetes, plásticos e matéria prima para tubos de PVC, borracha (vulcanização), resinas e acrílico. Já a mistura de ácidos graxos é frequente na síntese da borracha, emulsificante asfáltico, quaternário de amônia (amaciantes). O ácido oléico é aplicado em sabões, detergentes especiais, cápsulas para medicamentos, óleos e graxas especiais, além de formulação de tintas em geral. A glicerina pode ser utilizada em diversos produtos, como chocolates e sorvetes, medicamentos, xaropes, anticongelantes (em radiadores), resinas, e, uma vez que purificada por meio de destilação, é possível a produção de nitroglicerina. E cada vez mais tem recebido atenção e tem sido fonte de estudos, pois a partir de processos industriais físico-químico é possível a obtenção do biodiesel, que possui uma emissão menor de poluentes em relação ao diesel convencional.

 

Os ossos apresentam valor nutritivo relativamente baixo, sendo o componente de maior importância o colágeno protéico, que pode ser convertido em gelatinas por cocção. A matriz óssea apresenta ainda, como principal componente inorgânico, os sais de fosfato de cálcio. Também é possível encontrar bicarbonatos, magnésio, potássio, sódio e citratos em pequenas quantidades (BÓREM, Joseane L. S. 2010). Com os ossos é possível fazer a farinha de carne e ossos que é utilizada na ração de pets, suínos e aves. Também é utilizado na medicina em forma de enxertos uma para procedimentos da Implantodontia, Periodontia, Endodontia, Traumatologia e Cirurgia Bucomaxilofacial (BAUMER – Genius, Biomateriais). Outro uso diferente é o biovidro, ou na fabricação de cerâmicas (Agência FAPESP) e em pesquisa mostrou-se eficaz no reparo de fístula oronasal em cães.

 

Outro grande aproveitamento é do sangue, que pode ser utilizado na fabricação de medicamentos, meio de cultura e cosméticos, sendo assim também um produto nobre. O sangue pode ser comercializado para processamento, visando à separação e uso ou comercialização de seus componentes (albumina, fibrinolisina, trombina, etc.) amplamente utilizados na indústria farmacêutica. A albumina pode ser empregada para comprovar o fator Rh em humanos, assim como, estabilizador em vacinas, em provas de sensibilidade a antibiótico e, como ingrediente em cremes e loções.

 

O sangue também pode ser utilizado para produção de farinha de sangue, usada normalmente na preparação de rações animais. Também pode ser empregado como adubo orgânico em vários tipos de culturas, com um custo menor em relação ao adubo convencional. Do sangue coagulado obtêm-se o soro fetal bovino, sendo um importante componente para os meios de cultura celular devido à sua composição fornecer quantidade de ácidos graxos, aminoácidos, vitaminas além de compostos denominados de fatores de crescimento. Ele é utilizado, largamente, na indústria farmacêutica e em laboratórios de ensaios (Interlab – Laborclin).

 

O couro é amplamente utilizado para distintos fins. A partir dos beiços, rabo, mamas e outros, originam-se as aparas, que são, basicamente, utilizadas na produção de gelatina, usada na alimentação, para cápsulas de revestimento de medicamentos, ração animal e brinquedos para cães. Dele também é possível a fabricação do tijolo, conhecido como tijoboi, aonde as aparas são tratados junto com cromo utilizado nos curtumes, reduzindo assim a liberação do cromo no meio ambiente. Sem esquecer também da sua aplicação na indústria da moda, aonde são utilizados para produção de sapatos, bolsas, carteiras, jaquetas, cintos e luvas. E na decoração da casa, como tapetes, revestimentos de almofadas e estofados de móveis e carros.

 

Para evidenciar a grande utilização dos bovinos na vida moderna, foram identificados todos os produtos oriundos dos bovinos e sistematizados os seus usos. De modo a facilitar o acesso a estas informações, empregou-se como ferramenta um mapa mental. Os mapas mentais são estruturas de organização gráfica, que favorecem a busca e o acesso às informações, permitindo a sua identificação de forma rápida e atraente.

 

Assim, acessando o link MAPA DO BOI você verá a figura de um bovino. Clicando em partes do corpo do animal você terá acesso às informações sobre a extensa gama de produtos, obtidos a partir daquele tecido animal e aos documentos que fazem referencia seu uso. Bom proveito!

 

Última atualização em Seg, 08 de Janeiro de 2018 07:56
 


Another articles:

Powered By relatedArticle

CeresQualidade.com.br | Powered by Joomla!